Make your own free website on Tripod.com

J T H P
VOLTAR


CRIADEIRAS - Você ainda vai ter uma!!!!

Tenho 14 anos e há cerca de um ano me inicei no aquarismo. No início, gostava apenas de comprar peixes e mais peixes, fazendo uma verdadeira superpopulação no meu aquário (primeiro ponto negativo).

Aos poucos, fui chegando a conclusão que o que vale é o velho ditado "qualidade e não quantidade". Assim, resolvi começar a selecionar as espécies que criaria. Optei por guppys e platis rubis (pois aprecio muito suas cores e a facilidade com que os mesmos se reproduzem).

Logo nos primeiros meses, surgiram os primeiras fêmeas grávidas! Fiquei eufórico esperando o nascimento de meus alevinos mas, para meu desespero, eles nasceram durante a noite e a maior parte serviu de alimento para os outros peixes! :( Passada a decepção, outro peixe apareceu grávido em meu aquário (novamente a euforia voltou!) mas como fazia para cria-lo?!?!

Compraria outro aquário de menor porte e colocaria a fêmea lá?!?! Para resolver meu dilema, fui a uma loja aqui de Belo Horizonte especializada em aquário e perguntei ao vendedor sobre minha dúvida!Ele, (como todo bom vendedor), me ofereçeu uma criadeira de pequeno porte para que possa colocar a fêmea grávida em seu interior, separando-a dos filhotes ao nascer!

Fiquei confiante! Cheguei em casa, separei cuidadosamente a fêmea grávida na criadeira pequena e fiquei observando todos os dias! Um dia, para minha surpresa, os filhotes haviam nascido porém todos mortos!!! Mais de 30 lebistes mortos!! Foi uma decepção total! Não me dando por vencido, pesquisei em revistas, publicações e até mesmo com outras
pessoas caridosas (João Arci e outros colaboradores da Internet)como poderia fazer para que meusalevinos não morressem!

Cheguei a conclusão que, os alevinos, ao nascerem, necessitam de subir a superfície para "encher" sua bexiga natatória de ar! Caso isso não ocorra, a morte seria certa! Outro dilema me veio pela cabeça! Como faria para que os alevinos "respirassem" já que havia colocado, anteriormente, na parte inferior da criadeira uma pedra porosa que oxigenava o interior da criadeira e que, caso algum alevino mais "esperto" subisse pela bifurcação em V da criadeira, ele fatalmente seria comido pela mãe!

Dilema difícil de resolver, não?!?! Pensei por vários dias até que tive a idéia (como todo bom brasileiro) de comprar outra criadeira (de porte maior que a que já possuia), retirar o fundo da criadeira menor e coloca-la dentro da criadeira maior (parece difícil não, mas basta imaginar uma criadeira dentro da outra onde uma delas teve o fundo retirado!). Por que pensei nessa solução? Pois uma vez colocada uma criadeira menor (onde a fêmea grávida iria residir) com o fundo retirado no interior de uma criadeira maior (essa sem a bifurcação em V que separa os filhotes da mãe), os alevinos iriam nascer e logo após teriam espaço suficiente para irem até a superfície respirar sem terem que fugir da mãe faminta!!!

Solução simples que funcionou comigo!!! Encontro-me a disposição para explicar em detalhes minha "experiência"!


Qualquer dúvida mande um
MANDE UM E-MAIL